Chrome vai marcar sites que não usam HTTPS

chrome-seguranca

google-chrome-logo

A partir de janeiro de 2017, os sites que transmitirem dados sensíveis, como senhas e números de cartão de crédito, sem usar o protocolo HTTPS, vão receber uma marca bastante explícita do navegador Chrome, do Google.

O novo recurso foi anunciado em um post no blog de desenvolvimento do browser, onde há mais detalhes sobre sua adoção. Em resumo, o objetivo é tornar a navegação mais segura, obrigando os desenvolvedores de websites a parar de usar o protocolo HTTP e passar a usar exclusivamente o HTTPS, que oferece uma camada a mais de proteção a partir da encriptação dos dados.

Na versão atual do Chrome, os avisos visuais para os usuários a respeito da segurança dos sites é bem discreto: são os ícones de cadeados à esquerda da barra de endereços do browser. Já os avisos que entrarão em funcionamento no começo do ano que vem, aparecerão claramente indicando que o site não é seguro. Veja abaixo.

chrome-https

A equipe do Chrome ainda revelou que a intenção é continuar implementando mudanças no navegador para forçar a migração total de todos os sites para o protocolo HTTPS. O plano é que no futuro próximo, todas as páginas que não usem o protocolo recebam na barra de endereços uma marca  como esta abaixo:

chrome-https-01

Google: novo concorrente da Uber

Logo_waze.

uberMais uma surpresa no mundo do compartilhamento de transporte. O jornal Wall Street Journal revelou que o Google, por meio do seu app de mobilidade urbana Waze, começou a oferecer serviços de transporte em sistema muito parecido com o de empresas como a Uber e Lyft.

A experiência está em curso na cidade de San Francisco, California, área próxima à sede da empresa. Por enquanto, os serviços são oferecidos em pequena escala, para empregados de companhias de tecnologia da região, mas o plano seria de abrir a iniciativa para todos os residentes de San Francisco entre outubro e dezembro deste ano.

O serviço de compartilhamento de transporte oferecido pelo Google via Waze é um pouco diferente do modelo da Uber, pois prioriza a conexão dos passageiros apenas com motoristas que já estão fazendo um caminho que passe pelo destino desejado. Outra diferença é que as tarifas são bem mais baixas. E a mais surpreendente das distinções: o Google não recebe absolutamente nada pelo serviço, a transação financeira é apenas entre motoristas e passageiros.

A novidade oferecida é mais um passo no rompimento de relações entre o Google, que já chegou a investir US$ 258 milhões na Uber, em 2013, e a atual líder no mercado de compartilhamento de transporte. Rumores dão conta de que a Uber estaria desenvolvendo seu próprios mapas para deixar de usar o sistema de geolocalização do Google, o que seria outro indicativo da deterioração da relação entre as empresas.

Google vai acabar com os apps do Chrome

google_chrome_apps_01

google_chrome_appsUm post oficial do Google, divulgado em um de seus blogs na sexta, informa que a empresa vai gradualmente acabar com o recurso de apps do seu navegador Chrome. Os apps do Chrome, que vão desde opções de VPNs, até games como Cut The Rope, usam o sistema do navegador para rodar como se fossem utilitários normais – a experiência de uso é de um software normal, ainda que os apps usem os recursos do Chrome para funcionar. Segundo o Google, a decisão de eliminar o recurso foi motivada pela pequena taxa de uso  – a maioria dos usuários do navegador não aproveita a funcionalidade. O processo de extinção dos apps para Mac, Windows e Linux vai ser gradual, começando no final de 2016, quando os novos apps só vão funcionar em máquinas rodando o Chrome OS, sistema operacional do Google para computadores. A Web Store do Chrome vai deixar de vender os apps no segundo semestre de 2017 e no começo de 2018 o serviço vai ser totalmente encerrado. As extensões, que são como os apps, mas rodam dentro do browser, vão continuar a funcionar normalmente.

Novo cabo submarino envia dados em até 60 terabits por segundo

base-marinha-fundo-do-mar-chines

base-marinha-fundo-do-mar-chines

A Microsoft e Facebook se uniram para construir um cabo submarino de alta velocidade que liga os EUA e a Europa. Com objetivo de aumentar a velocidade da Internet e oferecer mais serviços para o Japão, o Google anunciou que ajudou a financiar um cabo de fibra óptica superlonga que atravessa o oceano e que a previsão para instalação e funcionamento é de apenas 1 semana.

O cabo pode transmitir até 60 terabits por segundo, dos quais 10 Tbps são alocados especificamente para o Google. Esse tipo de largura de banda torna este o cabo submarino o maior de capacidade do mundo e trará as taxas de dados mais rapidamente entre os dois países.

Fonte: Mashable
Foto: Pixabay

Novo satélite mostra fotos incríveis da Terra

satelite

satelite

Google extraiu novas fotos à partir de um satélite lançado em 2013 com imagens livres de nuvens e visivelmente nítidas. “Esta nova versão de Earth usa os dados disponíveis mais recentes”, escreveu Chris Herwig, gerente de programa para o Google Earth Engine em um post de blog .

Grande parte da terra é geralmente coberta por nuvens , mas o Google Maps vasculhou fotos que reuniram mais de 700 trilhões de pixels. O resultado é uma visão com detalhes. “Nosso mosaico anterior usou imagens à partir do satélite Landsat 7, que na época era o melhor”, disse Herwig.

Os cientistas colherão vários dados, obtendo uma sensação de desmatamento e desenvolvimento urbano em diferentes partes do mundo. Muitos desses dados estão disponíveis gratuitamente à partir do programa Landsat 8, que é o mais novo satélite da frota.

Fonte: Mashable
Foto: Reprodução/Google LandSat

Google premia pesquisadores que descobrem falhas no sistema Android. Confira

android-994910_960_720

android-994910_960_720

O Google já começou seu programa de recompensas em relação a segurança dos androides. A concessão de dinheiro para pesquisadores que encontram vulnerabilidades no sistema, bem como telefones e tablets Nexus já começou a ser colocada em prática. Até agora, a empresa pagou mais de US$ 550.000 para 82 indivíduos que entregaram mais de 250 relatórios de vulnerabilidade de qualificação.

À partir de agora, os pesquisadores que disponibilizarem à empresa os relatórios de vulnerabilidade com prova de conceito receberá 33% a mais. Os relatórios de vulnerabilidades de alta qualidade com uma prova de conceito e um teste CTS receberão 50% a mais.

O programa de recompensas de Segurança Android premia financeiramente pesquisadores que descobrem falhas de segurança em software e hardware do Google. Desde janeiro de 2015, o Google também foi executado um programa chamado de vulnerabilidade Bolsas de Investigação , o que dá dinheiro para especialistas para encontrar erros antes de começar seu trabalho. E aí, o que acha de participar também?

Fonte: Mashable
Foto: Pixabay

Google cria mecanismo para evitar acidentes com os carros de auto-condução

motorista-carro-do-google

motorista-carro-do-google

Google sabe que seus carros de auto- condução tem grandes possibilidades de se envolverem em acidentes – talvez até mesmo acidentes envolvendo pedestres – e por isso a empresa patenteou uma solução única para minimizar as lesões se isso acontecer : flypaper humano.  A patente, concedida no início desta semana , descreve “uma camada adesiva posicionada na extremidade dianteira do veículo”. Eles acrescentaram que isso evita o impacto secundário entre o pedestre e a superfície da estrada ou outro objeto.

Bryant Walker Smith, professor de direito da Stanford School e especialista em carro de auto-condução, disse ao jornal The Mercury News que apesar destas preocupações, o Google deve ainda ser elogiado por pensar na segurança de condutores e passageiros.

Fonte: The Verge

Nova câmera do Google permite que você veja obras de arte nos mínimos detalhes

nova-camera-do-google

nova-camera-do-google

O Instituto Cultural Google tem uma nova maneira de apreciar a arte – uma câmera gigapixel de alta potência projetado para trazer a experiência do museu diretamente para sua tela de computador.

A arte Camera Google pode levar vários closes de alta resolução de obras de arte – cada imagem que contém mais de um bilhão de pixels – que são então costurados juntos em uma imagem que pode ser ampliada. Ela também utiliza um sistema de lasers que mede a uma distância exata entre ela e a obra de arte, sem submetê-la a luz excessivamente brilhante. Agora, basta aguardar para saber se ela será comercializada ou não.

Fonte: TechRadar
Foto: Reprodução

Google se une a operadoras para impulsionar sucessor do SMS

rcs

O Google e a GSMA, associação mundial de operadoras, divulgaram comunicado informando que estão trabalhando conjuntamente para padronizar o RCS (Rich Communication System) como o substituto do SMS.

O novo padrão traz um avanço enorme com relação ao SMS oferecendo funcionalidades que estão presentes em aplicativos como WhatsApp e Messenger incluindo a possibilidade de envio de fotos e vídeos maiores, criar grupos e ver quando outro usuário está digitando. Mais que isso, o RCS oferece as operadores controle sobre a entrega da mensagem possibilitando a envio de uma mensagem simples caso o destinatário não tenha um aplicativo padrão instalado.

Reforça essa iniciativa o crescimento dos usuários de aplicativos  de mensagem ( o WhatsApp chegou a 1 bilhão de usuários recentemente) e as quedas nas receitas das operadores relacionadas ao uso de mensagens de texto. A entrada do Google nesse cenário dá esperança as operadoras à medida que a empresa fará com que o suporte ao RCS seja padrão em todos dispositivos Android, ou seja, 80% do mercado.

Fonte: Quartz

Google está removendo anúncios da lateral direita dos resultados de busca

O Google confirmou a sites americanos que está eliminando a coluna lateral direita que apresentava anúncios nas páginas de resultados de busca. A mudança será global e os anúncios aparecerão exclusivamente antes e depois dos resultados de busca.

No caso de buscas “altamente comerciais” um quarto anúncio será exibido antes dos resultados de busca. Antes de remover os anúncios laterais apenas 3 anúncios eram exibidos.

Um assessor do Google confirmou ao site Search Engine Land que a mudança está sendo realizada em todas as buscas e em todos idiomas. A única modalidade de anúncio que continuaria a ser exibida na lateral direita é a PLA (Produc Listing Ads) que mostra listagem de produtos exibidas em buscas relacionadas ao Google Shopping.

Em teste realizado nessa manhã os anúncios da lateral direita já não são mais exibidos e o quarto anúncio no topo dos resultados já é exibido para buscas mais comerciais como por exemplo “hotéis em sp”.

 

 

Fonte: The Verge, Search Engine Land