Chrome vai marcar sites que não usam HTTPS

chrome-seguranca

google-chrome-logo

A partir de janeiro de 2017, os sites que transmitirem dados sensíveis, como senhas e números de cartão de crédito, sem usar o protocolo HTTPS, vão receber uma marca bastante explícita do navegador Chrome, do Google.

O novo recurso foi anunciado em um post no blog de desenvolvimento do browser, onde há mais detalhes sobre sua adoção. Em resumo, o objetivo é tornar a navegação mais segura, obrigando os desenvolvedores de websites a parar de usar o protocolo HTTP e passar a usar exclusivamente o HTTPS, que oferece uma camada a mais de proteção a partir da encriptação dos dados.

Na versão atual do Chrome, os avisos visuais para os usuários a respeito da segurança dos sites é bem discreto: são os ícones de cadeados à esquerda da barra de endereços do browser. Já os avisos que entrarão em funcionamento no começo do ano que vem, aparecerão claramente indicando que o site não é seguro. Veja abaixo.

chrome-https

A equipe do Chrome ainda revelou que a intenção é continuar implementando mudanças no navegador para forçar a migração total de todos os sites para o protocolo HTTPS. O plano é que no futuro próximo, todas as páginas que não usem o protocolo recebam na barra de endereços uma marca  como esta abaixo:

chrome-https-01

Volvo promete carro sem acidentes fatais até 2020

Durante uma entrevista à CNN Money, alguns executivos da Volvo disseram que até 2020 a empresa já conseguirá criar carros onde, em caso de acidentes, ninguém sairá morto ou ferido gravemente. Mesmo com tendo o carro mais seguro do mundo (o XC90 não registrou nenhum acidente fatal em 4 anos), a empresa pretende ir mais além.

Para isso a empresa pretende aumentar a segurança dentro do veículo, criando airbags e cintos de segurança mais resistentes e que suportem maiores impactos. Além disso, carros mais inteligentes também estão nas medidas de segurança.

Algumas das tecnologias que podem ser adicionadas também são usadas em carros autônomos, como por exemplo o Cruise Control, que mantém a velocidade definida mas pode reduzir e até frear o carro caso perceba um perigo. Outro é o sensor de faixas, que podem ajudar caso o motorista cochile no colante e por fim um sistema de câmeras que capaz de identificar perigos, semelhante a um já usado para detectar grandes animais na América do Norte.

Fonte: Extremetech

Google removeu780 milhões de anúncios maliciosos no ano passado

Preocupado com a segurança de seus usuários, a Google, mais conhecida pelo seu buscador, removeu em 2015 cerca de 780 milhões de anúncios considerados maliciosos, 50% a mais do que em 2014.

Segundo eles, dentre as propagandas bloqueadas estavam aquelas que violaram as regras da empresa, como por exemplo: produtos falsificados, remédios sem aprovação, falso produtos de perda de peso e tentativas de Phishing. Dentre eles também haviam 17 milhões de propagandas que apontam problemas no sistema, como vírus, necessidade de atualização e outros tipos de falsos maus funcionamentos.

Para tentar frear esse tipo de anúncio, antes mesmo que ele seja exposto, a empresa conta com um código que faz um rastreio das possíveis propagandas mal-intencionadas e também com uma equipe com mais de mil funcionários que revisam todos os anúncios. Durante o comunicado sobre o assunto, a empresa garantiu que aumentará os esforços para conter ainda mais esse tipo de atitude em 2016.

Fonte: Google