Acessório permite usar o dedo para falar no smartphone

sgnl_01

sgnlA Innomdle Lab, empresa coreana que nasceu dentro da Samsung, mais especificamente dentro do  C-LAB, central de pesquisas e inovação da empresa, vai trazer ao mercado uma pulseira do tipo smartband, capaz de transmitir o som pelo pulso até ele chegar à ponta do dedo e assim atingir o ouvido. Em outras palavras, os usuários vão poder atender a chamadas colocando o dedo no ouvido.

A pulseira, batizada de Sgnl, pode ser acoplada a qualquer relógio – convencional ou smartwatch. Ela conecta-se via Bluetooth ao smartphone e gera as vibrações a partir do som das ligações. O dispositivo tem um microfone para captar a voz.

Para quem observa a Sgnl em funcionamento, a impressão é de ver um segurança ou agente secreto de filmes de ação usando o comunicador auricular – com a diferença de que não há absolutamente nenhuma peça de equipamento na orelha.

A Innomdle Lab levantou mais de 9 vezes o valor almejado (US$ 50 mil) na campanha de financiamento coletivo da pulseira no site Kickstarter. Com os quase US$ 500 mil arrecadados, a empresa pretende colocar o produto no mercado em fevereiro de 2017. Os colaboradores iniciais do projeto vão receber a Sgnl por preços que vão de US$ 99 a US$ 139.

Supersmartphone: câmera de 60MP, 12GB de RAM, 512GB de espaço e capacidade para 4 chips!

Turing_Phone_Cadenza_02

Turing_Phone_Cadenza_01Turing Phone Cadenza: este é o nome do smartphone anunciado pela empresa Turing Robotic Industries em uma newsletter para cadastrados no seu mailing. Seria apenas mais um aparelho, não fossem suas especificações inacreditáveis. Confira só:

  • Tela de 5,8″ com 1440x 2560 pixels,
  • Dois processadores Snapdragon 830 (modelo que ainda nem foi lançado),
  • Câmera traseira de 60MP, modelo iMAX 6K Quad, Triplet Lens/T1.2
  • Câmera frontal dupla com 20MP,
  • 12GB de memória RAM,
  • 512GB de espaço interno de armazenamento,
  • 2 slots para microSD,
  • Bateria total de 100wh, com 3 fontes: bateria de grafeno com 2400mAh, 1600mAh de íons de lítio e célula de hidrogênio,
  • Capacidade para operação com 4 chips (sim cards) diferentes,
  • Sistema operacional Swordfish OS, desenvolvido a partir do Sailfish OS, com ênfase na inteligência artificial.

O Candenza é tão inacreditável que são poucos o que estão acreditando na seriedade do anúncio. E realmente as especificações não fazem muito sentido. Só esperando até 2017, data de lançamento divulgada, para conferir.

Turing_Phone_Cadenza

 

Prisma, o app do momento, agora também em modo offline

prisma_01

prisma

Você ainda não conhece o Prisma? Então pare o que está fazendo e junte-se aos quase 2 milhões de usuários ativos que o app conquistou em pouco mais de 2 meses de disponibilidade para iOS e menos de um mês para Android – em número de downloads, o app já ultrapassou os 55 milhões. O Prisma não faz nada que outros apps de edição de imagens não façam: transforma imagens em desenhos ou pinturas. A diferença está no estilo dos efeitos (muitos deles baseados em artistas clássicos e referências pop) e a qualidade do material gerado. Execute e confira.

O segredo do app russo está no uso de algoritmos de redes neurais e de aprendizado (deep learning) para gerar imagens totalmente novas, em vez de aplicar filtros sobre as imagens existentes, como faz a maioria dos apps de edição de imagens. Todo o processamento era executado na nuvem, mas os desenvolvedores fizeram um update da versão para iOS que permite seu uso em modo offline, sem necessidade de conexão à internet. A única restrição é o número de efeitos, que é menor no modo offline. A lançamento da versão com o recurso para Android está previsto para as próximas semanas.

 

 

Smartphones com baterias que duram duas vezes mais que as atuais

Solid Energy_Bateria

MIT-Solid-Energy-Systems_0Se tudo correr como planejado, em 2017 a empresa Solid Energy vai tornar realidade seu sonho de ter um smartphone cuja bateria dura o dobro do que atualmente. A companhia, que nasceu no MIT, desenvolveu células de energia capazes de armazenar a mesma quantidade de energia que as atuais baterias de íons de lítio, mas em peças com a metade do tamanho.

“Com  duas vezes a densidade de energia, podemos fazer uma bateria com metade do tamanho, mas que ainda dura a mesma quantidade de tempo que uma bateria de íons de lítio. Ou podemos fazer uma bateria do mesmo tamanho que uma bateria de íons de lítio, mas que vai durar o dobro do tempo”, explica Qichao Hu, co-inventor da bateria e CEO da Solid Energy.

A matéria-prima usada pela Solid Energy é o metal de lítio, que já vinha sendo testado há algum tempo. O problema era que as reações químicas geradas pela substância causavam curto-circuitos e superaquecimento, por só ocorrerem em altas temperaturas. Hu conseguiu contornar a questão criando uma nova mistura líquida de eletrólitos e uma mistura sólida para revestir o metal de lítio que fica no anódio (eletrodo negativo da bateria). Em outras palavras, ele conseguiu fazer as reações químicas acontecerem em temperatura ambiente.

Para completar, as baterias de metal de lítio podem ser produzidas nos mesmos equipamentos que as de íons de lítio, o que garante, imediatamente, a escala necessária para aplicações comerciais. As novas baterias começam a ser usadas em 2016 para abastecer drones, em 2017 estarão disponíveis para smartphones e eletrônicos e para 2018 estão previstos modelos maiores para automóveis.

Huawei assume liderança no mercado chinês de smartphones

huawei-p9

huawei_phoneA aparentemente imbátivel Xiaomi perdeu o posto de maior vendedora de smartphones da China – pelo menos no segundo trimestre de 2016. É o que mostra recente relatório do IDC sobre o mercado do país. Chama a atenção que, além de perder a liderança, a Xiamoi despencou para o quarto lugar do ranking. O maior vendedor de smartphones da China no período foi a Huawei, com 19,1 milhões de unidades distribuídas, seguida pela OPPO, com 18 milhões e pela vivo, com 14,7 milhões. O volume da Xiamoi  caiu de 17,1 milhões em 2015, no mesmo período, para 10,5 milhões em 2016 – 38% de queda. A Apple é a quinta colocada geral e  primeira estrangeira na lista.

Superbook: o acessório que transforma seu dispositivo Android em um notebook

superbook

superbookO que você enxerga na imagem desta notícia? Um smartphone conectado a um laptop, certo? Errado. Você vê um dispositivo Android conectado a um acessório, o Superbook, uma espécie de “casca vazia” que permite usar smartphones como se fossem notebooks. O responsável pela mágica é um app chamado Andromium, que faz o Android rodar com interface similar a de um sistema operacional de computadores. O Superbook é conectado ao smartphone por um cabo USB – também suporta o padrão USB Type C – tem tela LCD de 11,6 polegadas, 1366 X 768 e pesa 0,9 kg. Processador, espaço de armazenamento interno, RAM… tudo isso vem do smartphone, que deve ter no mínimo o Android 5.0 ou superior, processador Dual Core, 1,5 GB de RAM, conector tipo C ou Micro-B e 25MB de espaço de armazenamento. O aparelho está em fase de financiamento coletivo no site Kickstarter, com preço de US$ 99 para os apoiadores. Faltam apenas mais 4 dias para a campanha terminar.

Alibaba.com vende mais através de smartphones do que por computadores pela primeira vez na história

alibaba_logo

Alibaba.comA maior empresa de comércio varejista do mundo, a chinesa Alibaba.com, divulgou seu balanço trimestral cheio de números impressionantes. A companhia teve crescimento recorde no segundo trimestre de 2016, com vendas na casa de 4,8 bilhões de dólares, crescimento de 59% com relação ao mesmo período do ano anterior. Do volume total, 3,5 bilhões de dólares vieram de compras efetuadas na própria China. Outro fato histórico é que pela primeira vez as compras realizadas por meio de dispositivos móveis (smartphones e tablets) ultrapassou o número de transações concluídas com computadores, o que já ocorria na China desde o ano passado e agora acontece globalmente. Só para ter uma ideia, 75% das vendas em território chinês no trimestre foram realizadas com aparelhos móveis.

App da Netflix para medir velocidade da conexão está disponível para iOS e Android

fast_netflix01

Netflix_logoAgora, além do clássico app Speedtest da Akamai, usuários de smartphones contam também com o excelente serviço de medição de velocidade de conexão do Netflix, o Fast Speed Test,  em versão app. A ferramenta, que é usada como padrão de avaliação de qualidade da internet por muitas empresas, está disponível gratuitamente para Android e iOS.

Google Maps ganha modo de uso apenas via Wi-Fi e opção de armazenar mapas offline no cartão SD

google-maps

GoogleMaps

Boa notícia para quem usa planos de dados de capacidade reduzida e smartphones com pouca memória interna: o app Google Maps agora oferece a opção de acessar os mapas online apenas quando você estiver conectado à internet via Wi-Fi – sem conexão a redes Wi-Fi, o uso do app fica limitado a mapas offline que já tenham sido baixados previamente. E aí vem a segunda boa notícia: o app também passou a permitir o armazenamento dos mapas offline nos cartões SD dos smartphones – anteriormente, eles só podiam ser gravados na memória interna. As novidades devem estar disponíveis nas próximas atualizações do aplicativo.